Menu

Intercâmbios

Intercâmbios nacionais

O corpo docente e discente do programa de Pós-Graduação em Sistemática, Taxonomia Animal e Biodiversidade do MZUSP realiza diferentes atividades acadêmicas, de pesquisa e ensino, em instituições brasileiras e do exterior. As participações em eventos nacionais e internacionais como convidados são inúmeras, assim como participações em aulas e em palestras. O programa, embora ainda jovem, vem atraindo continuamente um grande número de alunos de muitos estados brasileiros e, em 2018, contou com 60 discentes (35 doutorandos e 25 mestrandos) e 16 titulados. Dada a natureza do nosso Programa, é mais do que esperado que tanto o corpo docente quanto o discente pratiquem intercâmbios interinstitucionais regularmente. Uma das características mais marcantes da vinculação do programa de Pós-Graduação em Sistemática, Taxonomia Animal e Biodiversidade ao MZUSP é exatamente a intensa oportunidade para estes intercâmbios. Pela própria natureza da instituição, que conta com extensas coleções, fundamentais para o trabalho do zoólogo, há um fluxo intenso e permanente de pesquisadores visitantes (estudantes e profissionais) que mantêm um ambiente acadêmico muito propício a atividades interativas envolvendo programas afins, tanto no país quanto no exterior. Prova disto é o grande número de pesquisadores de diversas instituições nacionais que visitaram o MZ, somando 224 diferentes pesquisadores apenas em 2018 (112 nos laboratórios de Entomologia, 12 nos laboratórios de Invertebrados, 100 nos laboratórios de Vertebrados e duas no laboratório de Paleontologia).

Inserir mapa com origem dos visitantes?

Inserir mapa com destino dos docentes e discentes?

Intercâmbios internacionais

O Curso oferece ensino associado à pesquisa de alta qualidade para a formação de profissionais nas áreas de sistemática, taxonomia, biodiversidade, evolução e biogeografia, normalmente com competência adicional em um grupo determinado de organismos. O Curso enfatiza fortemente a internacionalização de suas atividades. A diversidade biológica não está limitada por fronteiras políticas nacionais e seu estudo não pode ser igualmente limitado. Desta forma, o Curso atende alunos tanto do país como do exterior, com normas que buscam possibilitar a participação destes últimos com pouquíssimos entraves. A formação de profissionais oriundos de outros países é desejável para a criação de duradouros vínculos científicos internacionais, para o desenvolvimento da ciência de modo geral e beneficia grandemente o curso na medida em que permite que diversas culturas científicas interajam, beneficiando tanto os alunos brasileiros quanto os oriundos de outros países.

O programa vem atraindo continuamente um grande número de alunos também do exterior (África do Sul, Austrália, Cuba, Chile, Colômbia, Itália e Peru), atualmente contando com 47 discentes e 64 egressos, dos quais 9 (19%) e 12 (18,75%), respectivamente, são alunos estrangeiros. A formação de profissionais oriundos de outros países é desejável para a criação de duradouros vínculos científicos internacionais para o desenvolvimento da ciência de modo geral, e beneficia grandemente o curso na medida em que permite que diversas culturas científicas interajam, enriquecendo reciprocamente alunos brasileiros e estrangeiros. Assim, além do já mencionado intenso fluxo de pesquisadores brasileiros, há também uma importante movimentação de profissionais e estudantes de outros países.  Apenas em 2018, 23 pesquisadores estrangeiros realizaram atividades de pesquisa no MZUSP. 

Inserir mapa com origem dos visitantes?

Inserir mapa com destino dos docentes e discentes?